“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

terça-feira, 30 de abril de 2013

Justiça Restaurativa caxiense é modelo para municípios gaúchos


A Prefeitura de Caxias do Sul, por meio da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Proteção Social (SSPPS), recebeu na última sexta-feira (26.04) integrantes da Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), da Faculdade de Direito de Santa Maria (FADISMA) e da Promotoria Regional de Educação de Santa Maria para um encontro sobre o processo de implantação da Justiça Restaurativa (JR) em Caxias do Sul. O encontro foi realizado no Bloco 58 da Universidade de Caxias do Sul (UCS) e contou com as presenças do diretor-geral da SSPPS, José Francisco Barden da Rosa, do chefe de gabinete e diretor do Centro de Ciências Jurídicas da UCS, José Carlos Monteiro, da professora do Centro de Ciências Jurídicas da UCS, Claudia Hansel, do titular do Juizado Regional da Infância e Juventude, Leoberto Narciso Brancher, do diretor do Centro de Atendimento Socioeducativo de Caxias do Sul (CASE), Cláudio Gonçalves, e do grupo de trabalho da JR em Caxias.
Na abertura do encontro, o professor José Carlos Monteiro ressaltou a importância do trabalho da JR, e seu potencial de ser curativo e também preventivo. Ele informou que a universidade é comunitária, e afirmou a receptividade da instituição para temas de interesse da comunidade.
O diretor-geral da SSPPS manifestou a confiança no projeto de implantação da JR na cidade, e afirmou que o caminho para a área da segurança pública é a busca e a aplicação de novas alternativas, a fim de obter resultados diferenciados. José Francisco Barden da Rosa afirmou que a secretaria trabalha com parceiros muito fortes e uma equipe comprometida, a fim de colocar em prática essas novas possibilidades. “A Justiça Restaurativa é uma alternativa em que temos que apostar. Apostando nela, estamos apostando no ser humano”, destacou Barden.
O titular do Juizado Regional da Infância e Juventude, Leoberto Narciso Brancher, ressaltou a pertinência de reunir representantes da área da segurança pública e a comunidade para a discussão de uma nova estratégia como a JR e seus reflexos na questão da ordem pública. Brancher apresentou o panorama da Justiça Restaurativa em Caxias do Sul, seu histórico e as condições que propiciaram a iniciativa.
Após, o grupo de trabalho do Núcleo Coordenador de Justiça Restaurativa e da Central Judicial de Práticas Restaurativas apresentou alguns casos e houve interação com os participantes. O grupo conheceu também a Central de Mediação da UCS.

Assessoria de Imprensa – SSPPS

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...