“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

terça-feira, 15 de maio de 2012

Servidores da Susepe concluem etapa do curso de Justiça Restaurativa


Servidores do sistema penitenciário gaúcho concluíram, neste sábado (12), o segundo módulo do Curso de Formação Prática em Justiça Restaurativa. Voltada à integrantes da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), a atividade teve o objetivo de abordar os aspectos práticos da metodologia de mediação de conflitos, por meio da Justiça Restaurativa.
Mais de 30 pessoas estiveram reunidas durante dois dias para convivência e troca de experiências, sendo metade do grupo composto por servidores da Susepe e o restante por voluntários da Pastoral Carcerária. Os participantes da Susepe já haviam concluído a etapa anterior, com os fundamentos básicos da metodologia e, agora, apresentaram relatos de casos para que os demais integrantes, vindos de diversas regiões do Estado, pudessem colaborar com sugestões sobre a melhor forma de resolução dos conflitos nos estabelecimentos prisionais.
Facilitadores
A metodologia da Justiça Restaurativa requer a existência de uma figura denominada facilitador, que desenvolve o papel da mediação do diálogo entre vítima e ofensor e busca promover a dissolução dos conflitos existentes, traçando um paralelo entre eles até que seja possível que os caminhos se cruzem para uma convivência pacífica.
Desafios
Uma das atividades do grupo, durante o encontro deste sábado, foi de refletir sobre a atuação do facilitador junto aos conflitos existentes e a responsabilidade que esta tarefa requer. Para a servidora da Susepe, Denise Santiago Ferraresi, um dos desafios é a mudança de comportamentos. "Ser facilitador é buscar promover uma transformação do velho' para o novo'. É romper com algumas amarras, como a falta de diálogo, por exemplo. É buscar a união com propósito do entendimento e da superação de dificuldades", afirmou.
Grupos de estudos
A continuidade da formação em Justiça Restaurativa se deve ao engajamento dos servidores com a metodologia, assim, surgiram grupos de estudos sobre o tema em Porto Alegre e Passo Fundo. A previsão é que um novo grupo de estudos comece a se reunir, em Caxias do Sul, a partir de junho deste ano.
Texto: Tiago Dias
Edição: Redação Secom (51) 3210-4305

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...