“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Defensoria Pública de Juiz de Fora apresenta projeto-piloto para Justiça Restaurativa da Cidade


As Defensoras Públicas Maria Aparecida de Paiva e Margarida Almeida, coordenadoras do projeto Além da Culpa, em Juiz de Fora, realizaram palestra na Escola Municipal Gabriel Gonçalves, no bairro Ipiranga, sábado (03). O objetivo do encontro foi apresentar, à direção e ao corpo docente, a proposta de criação dentro da escola do projeto-piloto do Além da Culpa.
Após a palestra das Defensoras e da exposição do projeto, foi exibido o vídeo “Olhando para o futuro” e distribuído material explicativo sobre as técnicas da Justiça Restaurativa.  Durante os debates foi possível conhecer o quadro de insegurança e vulnerabilidade presentes no dia-a-dia da escola.
Segundo as Defensoras, a proposta de implantação do Além da Culpa foi bem aceito pela instituição, sendo que agora a coordenação vai trabalhar para sua efetiva estruturação, sendo previsto o início para setembro.
 
A violência e rivalidade entre os jovens e o projeto Além da Culpa foi tema de reportagem desta quarta-feira (08) na imprensa de Juiz de Fora. (leia aqui)
O projeto
 
De iniciativa da Defensoria Pública de Juiz de Fora, o Projeto “Além da Culpa – Justiça Restaurativa” propõe que a vítima e o infrator participem coletiva e ativamente na construção de soluções para a cura das feridas, dos traumas e perdas causados pela infração cometida.
 
Trata-se de um processo de consenso, estritamente voluntário e relativamente informal, com intervenção de mediadores ou facilitadores que podem se valer de técnicas de mediação, conciliação e transação para alcançar um acordo que supra as necessidades das partes e produza a reintegração social da vítima e do infrator.
 
A Justiça Restaurativa envolve a vítima, o ofensor e a comunidade na busca de soluções que promovam acordo, reconciliação e segurança.

Veículo: Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais
Estado: MG

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...