“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Moradores vão mediar conflitos

Sabe as discussões entre vizinhos por motivos como a disputa por um pedaço de terra ou o volume de som no quarto do filho?

Apartir da próxima sexta-feira, conflitos deste tipo na Lomba do Pinheiro, em Porto Alegre, serão mediados por agentes comunitários, sem a necessidade de se recorrer à Justiça. A idéia é apostar no diálogo, arbitrado por alguém que conheça o problema e as pessoas em litígio.

O bairro da zona leste da Capital foi escolhido pelo Ministério da Justiça para receber o projeto piloto do primeiro Núcleo de Justiça Comunitária no Rio Grande do Sul. O projeto integra o Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci).

Foram treinados 29 moradores do bairro para resolver impasses de forma pacífica. A atuação não é remunerada. Durante a cerimônia, os agentes revelaram entusiasmo com a nova tarefa.

– Vamos mais ouvir do que falar, sempre na busca de um entendimento – diz a dona de casa Nair da Rosa Marques, 57 anos.

Como funciona:

> O papel do mediador é possibilitar que as partes cheguem à solução do litígio, sem levar o impasse ao tribunal

> O trabalho dos mediadores será voluntário e não remunerado. Eles fizeram um curso de 40 horas

> Além de mediar conflitos, eles orientarão a população

> Moradores do bairro podem procurar o serviço pelo telefone (51) 3319-1001 ou no Centro de Promoção da Criança e do Adolescente São Francisco (Estrada João de Oliveira Remião, 4444)


Jornal Zero Hora. Disponível em: http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default2.jsp?uf=1&local=1&source=a2224082.xml&template=3898.dwt&edition=10836§ion=1042. Acesso em: 06 outubro 2008.

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...