“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Justiça Restaurativa será implantada em Caxias do Sul e Bento Gonçalves até 2011

Caxias do Sul – A nova resposta do poder público para conter o ciclo da violência entre os jovens se baseia em uma experiência adotada há cinco anos em Porto Alegre. O projeto Justiça Restaurativa está sendo implantado em Caxias do Sul e Bento Gonçalves, com a promessa de virar realidade a partir de 2011 em escolas, entidades e outros tipos de instituições que atuam com crianças e adolescentes.

A Justiça Restaurativa é um modelo difundido em vários países para pacificar relações prejudicadas pela violência. Os idealizadores do projeto valorizam a autonomia e o diálogo, criando oportunidades para que autores e vítimas possam conversar e entender os motivos de uma desavença. Posteriormente, é feita a tentativa de restaurar a harmonia e o equilíbrio entre as partes. Apesar de ter sido criado a partir de situações vivenciadas no Poder Judiciário, os princípios e métodos podem aplicados em diversos campos. Isso inclui desde uma briga entre estudantes a um menor flagrado cometendo um ato de vandalismo.

Desde o início de julho, 70 profissionais da rede da infância e juventude estão sendo treinados para aplicar os métodos em suas áreas de atuação. O curso é de responsabilidade da Universidade de Caxias do Sul (UCS) e contempla professores, educadores sociais, servidores do poder judiciário, monitores do Centro de Atendimento Socioeducativo (Case) e guardas municipais, entre outros. Deste grupo, 20 serão designados para atuarem como mediadores dos conflitos.

– Essas pessoas vão divulgar a Justiça Restaurativa e criar oportunidades para que ela seja aplicada em diversos setores – explica o juiz Leoberto Brancher, que implantou a ideia na 3ª Vara da Infância e da Juventude de Porto Alegre a atualmente trabalha em Caxias.

Inicialmente, o objetivo é trabalhar com casos menos graves. Situações mais complicadas devem ser resolvidas na Justiça. O projeto será testado nos próximos meses em uma entidade ainda a ser escolhida. A iniciativa é uma parceria entre a prefeitura, UCS, Associação dos Juízes do Rio Grande do Sul (Ajuris), Juizado Regional da Infância e da Juventude e Ministério Público.



Fonte: Pioneiro.Caxias do Sul. 04/08/2010 

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...