“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Grande Recife vai ganhar oito novos núcleos de mediação comunitária

Oito núcleos de mediação comunitários serão instalados em seis bairros da Região Metropolitana do Recife (RMR). Para isso, a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos (SJDH) firmou nesta terça-feira uma parceria com quatro Organizações Não Governamentais (ONGs). A solenidade aconteceu na sede secretaria executiva, no bairro do Espinheiro.

O objetivo é fortalecer a política de mediação comunitária de conflitos. O grupo que vai atuar nos núcleos também vai participar de curso de formação em Direitos Humanos e Mediação Comunitária. Os núcleos comunitários serão implantados e geridos pelas instituições com o apoio do Governo do Estado. A parceria foi firmada com as instituições: Coletivo Mulher Vida, Grupo Ruas e Praças, Cáritas Brasileira NE2 e Grupo Adolescer, que vão implementar espaços em seis bairros da RMR, de acordo com a área de atuação das ONGs. São eles: Caranguejo Tabaiares, Santo Amaro, Arruda, Fundão, Rio Doce e Ilha de Santana/Jardim Atlântico.

"Os núcleos de mediação de conflitos se configuram como uma importante ferramenta de pacificação de conflitos dentro das comunidades. Ao fortalecer a atuação desses grupos comunitários, os pequenos conflitos podem ser resolvidos ali mesmo, sem a necessidade de judicialização. São pessoas comuns com a sensibilidade e o compromisso de ajudar na redução dos índices de violência dentro dessas comunidades", acrescentou o secretário Executivo de Direitos Humanos, Eduardo Figueiredo.


 
Na solenidade também foi ministrada a Aula Magna que marcou o início do curso de formação em Direitos Humanos e Mediação Comunitária. Com o tema "Cultura de Paz", a palestra foi ministrada pelo professor Marcelo Pelizzoli. Autor de 17 livros publicados, Pelizzoli é coordenador do Espaço de Diálogo e Reparação da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e membro fundador da Rede Justiça Restaurativa de Pernambuco.

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...