“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

terça-feira, 20 de junho de 2017

Em Dourados, audiência debate o enfrentamento à violência no ambiente escolar

Elias Ishy quer debater a violência no âmbito escolar - Foto: Eder Gonçalves
Elias Ishy quer debater a violência no âmbito escolar – Foto: Eder Gonçalves
A proposição é do vereador Elias Ishy e conta com a palestra da juíza Katy Braun do Prado do TJMS
A Câmara Municipal de Dourados realizará uma Audiência Pública que trata do “enfrentamento à violência no ambiente escolar”, no dia 23 de junho, às 14h, tendo como palestrante a juíza Katy Braun do Prado, coordenadora da Infância e Juventude do Tribunal de  Justiça do Mato Grosso do Sul (TJ/MS) e com participação da equipe da Justiça Restaurativa nas Escolas. A proposição é do vereador Elias Ishy (PT).
O evento tem como objetivo reunir os profissionais e entidades ligadas ao tema da Educação, Segurança Pública, Assistência Social, entre outros, para debater a realidade da violência no cotidiano do ambiente escolar e levantar subsídios para o Projeto de Lei em trâmite na Casa de Leis que dispõe sobre a Implantação do Programa de Aplicação de Atividades com Fins Educativos (PAAFE), apresentado em março deste ano pelo parlamentar.
O Projeto de Lei está baseado nas premissas das atividades desenvolvidas pela Justiça Restaurativa Escolar, que estimula a cultura da paz na prevenção dos conflitos, sendo implementada em vários municípios do país e em escolas de Campo Grande. A resolução dos conflitos, neste sentido, prioriza o processo educativo, o que não significa, no entanto, impunidade nem apologia à desresponsabilizacão, mas resolver o conflito utilizando o diálogo, fazendo com que o indivíduo causador de algum tipo de ofensa possa repensar seus atos e reparar os danos.
Segundo Ishy, o aumento da violência no ambiente escolar tem sido motivo de preocupação de todos. “O fato é que seja qual for o tipo de violência, ela afeta o indivíduo tanto no plano físico, quanto no psíquico, moral e também no sociocultural”, afirma o vereador.  Para ele, o evento é o primeiro passo no sentido de ampliar o debate com a sociedade. Para tanto, foram convidados os profissionais da educação, gestores públicos e as entidades ligadas ao setor, além de representações de pais e alunos.
Ele explica, por fim, que foi definido o período vespertino para contemplar maior tempo para o debate, mas que serão realizados, posteriormente, diálogos e atividades junto à comunidade. “Na perspectiva de envolver a todos neste processo e construir de forma coletiva uma legislação que garanta efetivamente o enfrentamento a violência e a promoção da cultura de paz no ambiente escolar”, finaliza.

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...