“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Câmara instala comissão especial para promover cultura da paz

Audiência Pública sobre as medidas cautelares pessoais. Dep. Keiko Ota (PSB - SP)
A deputada Keiko Ota, presidente do colegiado
A Câmara dos Deputados instalou comissão especialcom objetivo de apresentar soluções legislativas que promovam a cultura da paz. Eleita na quarta-feira (17), a presidente será a deputada Keiko Ota (PSB-SP), autora do requerimento para criação do colegiado.
O deputado Aliel Machado (Rede-PR) foi escolhido relator. Os vice-presidentes serão Diego Garcia (PHS-PR), Lincoln Portela (PRB-MG) e Raquel Muniz (PSD-MG).
A Organização das Nações Unidas (ONU) define a cultura da paz como um conjunto de valores, atitudes, tradições, comportamentos e estilos de vida baseados, entre outros, no respeito à vida, no fim da violência e na promoção e prática da não-violência por meio da educação, do diálogo e da cooperação.
Para Keiko Ota, o Brasil vive, há várias décadas, uma cultura da violência, e é necessário romper esse ciclo. “Hoje, a referência na periferia é o crime, a violência”, disse “Se queremos um Brasil melhor, temos que levar a cultura de paz para as escolas, empoderando as crianças.”
Uma proposta que terá o apoio da comissão, segundo Keiko Ota, é a que prevê que todas as escolas tenham psicólogos e assistentes sociais (PL 3688/00). O texto está pronto para votação no Plenário.
Perdão
A deputada lembrou que ela mesma foi vítima de violência. Em 1997, seu filho Ives, de oito anos, foi sequestrado e morto. Segundo ela, que participou da prática da justiça restaurativa, cultivar a paz permitiu que conseguisse perdoar os assassinos e defender uma sociedade menos violenta.

Keiko Ota é autora da proposta que originou o Dia Nacional do Perdão (Lei 13.437/17). A data será lembrada anualmente em 30 de agosto.

























Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...