“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

terça-feira, 30 de maio de 2017

Alunas se reconciliam após briga que viralizou na internet

Justiça Restaurativa realizou ação na Escola Estadual Dolor Ferreira de Andrade

Após brigarem na escola em situação que foi gravada e viralizou na internet, duas alunas da Escola Estadual Dolor Ferreira de Andrade, que fica no bairro Maria Aparecida Pedrossian, em Campo Grande, se reconciliaram graças ao trabalho da Justiça Restaurativa Escolar desenvolvido pela Coordenadoria de Infância e Juventude (CIJ) do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS). Nesta segunda-feira, 29 de maio, o resultado do trabalho foi apresentado à comunidade escolar. A briga que aconteceu no mês de fevereiro, foi gravada e divulgada pela imprensa local e em redes sociais. As adolescentes de 12 e 14 anos passaram por uma restauração de valores morais, na qual foram realizados círculos de conversas, mediados pelas facilitadoras e por duas amigas das adolescentes. O objetivo do projeto é disseminar a cultura da paz, resolvendo conflitos por meio de diálogo como ferramenta de resgate de valores. A vítima de 12 anos disse que foi bom passar pelo programa, e que se sentiu aliviada quando ambas se abraçaram. “Agora não vou mais ter medo, a gente se entendeu e pediu desculpas uma pra outra, e há uma semana nós nos abraçamos e fizemos as pazes” disse a adolescente. A outra menina envolvida não compareceu ao evento, pois estava doente, segundo informações de uma amiga. Conforme a amiga, a agressora relatou que no começo foi bem difícil lidar com a situação, mas que agora está tudo resolvido. “Ela se sentiu aliviada quando tudo acabou, e disse que o clima já estava pesando em casa e na escola, mas que agora está tudo resolvido”, contou a amiga que também foi sua mediadora. De acordo com a facilitadora Márcia Regina Soares, o projeto começou em 2012 com em apenas duas escolas estaduais, e que hoje já atende 21 escolas da Rede Estadual e cinco da Rede Municipal, totalizando 26 escolas atendidas pelo projeto. “A inclusão do projeto é feita a partir de uma conversa entre professores e alunos, e se os envolvidos aceitarem a ajuda e escola entra no programa. Neste caso que apresentamos hoje as duas adolescentes aceitaram passam pelo programa, para resolver a situação”, contou Márcia.

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...