“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

segunda-feira, 11 de julho de 2016

Punir não basta

Por Rui Pereira. 


Punir não basta, para ressarcir a vítima do crime é necessária a justiça restaurativa.



Sandra Manuel tem 37 anos e o ar sofrido de quem já não verte lágrimas. No dia 10 de fevereiro de 2014, o ex-companheiro projetou-a pela janela, de uma altura de sete metros, deixando-a paraplégica e com lesões cerebrais permanentes. O tribunal constatou que ele cometeu uma tentativa de homicídio mas declarou-o inimputável com base numa perícia psiquiátrica. Pelos vistos, o arguido sofre de uma psicose orgânica. Espantosamente, essa psicose não o impediu de exercer funções na segurança privada, restando saber se também teria licença de uso e porte de arma. Porém, a vítima e a sua advogada não se conformaram com a decisão judicial e acham que o agressor sabe bem o que fez e até se vangloria do crime que praticou. Sandra Manuel e o ex-companheiro seguem um caminho bifurcado. A vítima devotar-se-á aos duros esforços de reabilitação e o agressor será internado num hospital psiquiátrico pelo período mínimo de três anos. Resta saber se o tribunal de recurso irá revogar o acórdão absolutório da primeira instância, solução que só parece possível se for realizada uma segunda perícia. Sandra Manuel esteve no programa da manhã da CMTV, como sempre, "em direto e sem filtros". A parte mais dramática da entrevista ocorreu quando lhe perguntaram se estaria disposta a chegar à fala com o ex-companheiro. Para meu grande espanto, respondeu que sim, quase sem hesitar, porque gostaria de o ouvir pedir desculpa e explicar por que razão tentou matá-la. Tudo isto revela a importância da justiça restaurativa, que a Associação ‘Confiar’, o ISCSP e o Município de Cascais vão debater nos dias 15 e 16 de julho. Independentemente de a pena servir para expiar a culpa, prevenir o crime ou ressocializar o condenado, é necessário ressarcir a vítima. E ressarcir não significa só indemnizá- -la, mas dar-lhe também uma satisfação moral.


Fonte: Correio da Manha. 09/07/2016.

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...