“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

terça-feira, 20 de agosto de 2013

CURSO NACIONAL DE PRÁTICAS RESTAURATIVAS É REALIZADO NA OUVIDORIA DA SSP


O Instituto Brasileiro de Práticas Restaurativas (IBPR), vinculado ao Instituto Latino Americano de Práticas Restaurativas (ILAPR), em parceria com a Ouvidoria da Secretaria de Segurança Pública (SSP) promoveu ao longo desta semana, o Curso Nacional de Práticas Restaurativas. A programação aconteceu no auditório da Ouvidoria, localizada no Bairro do São Francisco em São Luís, e se encerra nesta sexta-feira (16).
O curso é direcionado a docentes, diretores de escolas, psicólogos, assistentes sociais, advogados, conselheiros e líderes comunitários, agentes penitenciários, policiais militares, civis, bombeiros, magistrados e todos aqueles que exercem funções de autoridades e liderança. O objetivo é criar, implantar e implementar metodologias e práticas para uma conexão de cultura de paz, possibilitando que os profissionais saiam capacitados para melhor atuarem em cada instituição.  As aulas estão sendo ministradas pelo Diretor-Presidente do Instituto Latino Americano de Práticas Restaurativas, Jean Schmitz.           
O curso aborda as principais medidas que devem ser tomadas no gerenciamento de qualquer tipo de situação ou punição nos mais diversos âmbitos sociais. Para a presidente do Instituto de Práticas Restaurativas, Keila Carvalho, essas questões contribuem para melhorar e aprimorar a vida cotidiana das pessoas nas áreas educativa, familiar, comunitária, jurídica, além de outros segmentos.
“É extremamente importante e eficaz esta parceria que visa qualificar estes profissionais para melhor se relacionarem em seus ambientes de trabalho. A prática de buscar a conciliação e o acordo entre as partes, tanto da vítima quanto do agressor, uma vez que com apenas um diálogo podemos prevenir, reduzir tensões e conflitos entre todos os interventores na comunidade ou sistemas promovendo assim a reparação”, frisou Keila.
Segundo a Ouvidora da Segurança Pública, Elivânia Estrela Aires, a criação de medidas alternativas pode contribuir e muito para minimizar algum problema ou evitar que ele se alargue. “Um processo de conversação e um diálogo podem ser fundamentais na resolução de diversas questões. Essas práticas restaurativas têm mostrado que as pessoas ficam mais satisfeitas, colaboradoras, produtivas e mais propensas a fazer mudanças positivas em seu comportamento e esse deve ser o caminho para uma convivência mais pacífica”, afirmou a Ouvidora.
Secretaria de Segurança Pública/Maranhão. 16.08.2013.

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...