“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Oficina aborda cobertura midiática sobre adolescente em conflito com a lei e as Práticas Restaurativas


Espaço objetivou a formação e discussão de profissionais de comunicação sobre os temas.

Aconteceu na manhã de segunda-feira, 03.12, a oficina “Adolescente em Conflito com a Lei, a Mídia e as Práticas Restaurativas”, direcionada para jornalistas e assessores de imprensa, no auditório da Defensoria Pública Geral do Ceará.
A oficina abordou a cobertura da mídia relativa ao adolescente em conflito com a lei e o comportamento dos profissionais de comunicação, promovendo formação temática e o fortalecimento das práticas restaurativas.
O momento buscou dialogar sobre a cobertura dos meios de comunicação e atuação de seus profissionais, que muitas vezes, acabam por fortalecer estigmas e reproduzir preconceitos relativos ao adolescente que cometeu ato infracional, estimulando boas práticas de cobertura.
Estiveram presentes profissionais de diversos veículos de comunicação e assessorias. No primeiro bloco, o defensor público Alfredo Romcy Neto expôs aos participantes como funciona o trabalho desenvolvido pelo Núcleo de Defesa dos Direitos da Infância e da Juventude (Nadij), e explanou sobre as unidades socioeducativas em Fortaleza.
Em seguida, a promotora de Justiça Antônia Lima Sousa, coordenadora do Centro de Apoio Operacional à Infância e Juventude (Caopij), discorreu sobre o Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase) e o papel do Ministério Público no sistema de garantia de direitos. A promotora frisou a importância de boas coberturas midiáticas que utilizam critérios de proteção como a não utilização de iniciais e imagens que possam identificar o adolescente. “É preocupante a exposição na mídia de adolescentes que se atribua autoria de ato infracional sem as devidas cautelas”, disse.
Logo após, foi a vez de Renato Pedrosa, diretor adjunto da Terre des hommes Lausanne no Brasil, falar sobre a Justiça Restaurativa e a experiência desenvolvida no Núcleo de Mediação Comunitária do Bom Jardim e nas escolas Catarina Lima e Lirêda Facó, ambas no bairro. Segundo Pedrosa, as Práticas Restaurativas estão inseridas na lei do Sinase. “Os Processos Circulares se caracterizam por grupos de conversa honesta e respeitosa que levam em consideração as necessidades das vítimas, a escuta empática e oportunidade de reintegração do adolescente autor do ato de violência”, sendo essa uma possibilidade de justiça que busca a reinserção social e comunitária de adolescentes.
A segunda parte da oficina contou com uma exposição feita pela jornalista Suzana Varjão, gerente de QUALIFICAÇÃO da Andi Comunicação. Ela falou sobre a cobertura feita pela mídia em relação ao adolescente em conflito com a lei, apresentando o resultado de pesquisas desenvolvidas pela Andi e ressaltou a importância dos profissionais da imprensa terem mais sensibilidade ao lidar com as pautas relacionadas a esse público.  “Para realizar uma boa cobertura jornalística, o profissional deve evitar o hiperdimensionamento (dimensionar mal o universo dos adolescentes em conflito com a lei), o mito da periculosidade (superexposição de eventos violentos de alto poder ofensivo) e o mito da impunidade (a falsa sensação que a opinião pública tem de que os adolescentes em conflito com a lei gozam de impunidade)”, explicou.
O evento faz parte das ações do VI Café Restaurativo, espaço de discussão sobre o sistema de justiça, políticas públicas voltadas ao adolescente em conflito a lei e as práticas restaurativas entre atores estratégicos da área. A ação foi realizada por Terre des hommes Lausanne no Brasil em parceria com a ANDI Comunicação, Defensoria Pública Geral do Estado do Ceará, Ministério Público & Escola Superior do Ministério Público do Estado do Ceará.

-
HUGO ACÁCIO
Assessor de Comunicação

Rua Pereira Valente, N° 1.655 - casa 20
Cep.: 60160 - 250 - Fortaleza/CE - Brasil
Tel: + 55 85 3263 11 42 | Skype: hugoacacio
Cel: + 55 85 8800 07 19 | Twitter: @tdhbrasil
www.tdh.ch | www.tdhbrasil.org

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...