“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Susepe promove I Seminário sobre Justiça Restaurativa no Instituto Penal Irmão Miguel Dario


Instituto Penal Irmão Miguel Dario recebe o projeto de Justiça Restaurativa, iniciativa do DSEP e Escola Penitenciária, da Susepe
Instituto Penal Irmão Miguel Dario recebe o projeto de Justiça Restaurativa, iniciativa do DSEP e Escola Penitenciária, da Susepe
Foto de Neiva Motta
 A Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) iniciou, nesta sexta-feira (14) o primeiro seminário sobre Justiça Restaurativa (JR). Destinado a professores da Escola do Instituto Penal Miguel Dário e servidores da casa prisional, o curso terá a duração de dez encontros. A ação é iniciativa em conjunta com o Departamento de Segurança e Execuções Penais (DSEP) e Escola Penitenciária (ESP), viabilizado pelo Grupo de Estudo em Justiça Restaurativa (GEJR), coordenado pelas psicólogas Lutiana da Rosa e Claudia Hustes da Susepe.
De acordo com Christiane Freire, diretora da ESP, a prática contribui na mudança de cultura e visão para tratar dos conflitos entre os presos e servidores. “Somos pioneiros na implantação da JR e vem ocorrendo continuidade no interesse e prática pelo projeto “é mais comum ocorrer JR no judiciário e com menores infratores da Fase”, acrescenta a profissional, que anunciou o interesse de implementar a JR também no novo presídio, em Arroio dos Ratos.
De acordo com Lutiana, os cursos de JR vem ganhando proporções surpreendentes, fortalecendo  a integração de todos os responsáveis. “O objetivo é amadurecer o conhecimento para organizar ações de reflexões críticas mediante nossa atuação no sistema prisional”, analisa. A psicóloga Claudia Hustes disse que a necessidade de difundir o conhecimento sobre o assunto, garante um melhor entendimento da implementação das práticas na mediação dos conflitos.
Justiça Restaurativa
O conceito é propor o diálogo para transformar a experiência da violência a partir da responsabilização frente aos atos e a reparação dos danos. A ação também pretende criar políticas públicas para superação da violência e criação de uma cultura de paz. O projeto de Justiça Restaurativa no Rio Grande do Sul prevê a formação e a prática de servidores e pessoas em privação de liberdade nesta metodologia. Ação semelhante só aconteceu no México com presos, e está iniciando em São Paulo, com presos do regime semiaberto. Também são facilitadores do curso o diretor do Departamento de Segurança e Execuções Penais da Susepe, Mário Pelz, o coordenador da Pastoral Carcerária na Região Sul, Manoel Feio.

Neiva Motta
Assessoria de Comunicação da Susepe

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...