“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

sexta-feira, 22 de junho de 2012

SEMINÁRIO SINASE: Atores estratégicos discutem aplicação das Práticas Restaurativas no Ceará


Aconteceu na manhã desta quinta-feira (21), no auditório da Escola de Magistratura do Ceará (Esmec), em Fortaleza, o seminário Sinase e a Justiça Juvenil Restaurativa: Possibilidades e Desafios na Atuação do Sistema de Garantia de Direitos . O seminário reuniu cerca de 50 pessoas, entre representantes de organizações da sociedade civil, conselheiros tutelares, promotores de justiça, defensores públicos, juízes, representantes do sistema socioeducativo e demais profissionais que trabalham com a temática.

A mesa de abertura do seminário foi composta pelo desembargador Suenon, pela promotora de justiça Antônia Lima Sousa, coordenadora do Centro de Apoio Operacional da Infância e Juventude (Caopij); o defensor público Alfredo Romcy, representante da Defensoria Pública do Estado e Anselmo Lima, diretor da Fundação Terre des hommes Brasil. O evento foi prestigiado pelo juiz coordenador da Esmec, Emílio de Medeiros Viana.

O primeiro painel, intitulado “As práticas restaurativas no atendimento ao adolescente envolvido em ato infracional e sua articulação com o sistema de garantia de direitos”, foi apresentado pelo juiz da Vara de Caxias do Sul/ TJRS, Leoberto Brancher. O magistrado abordou, inicialmente, a atuação do Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (Sinase), instituído pela Lei nº 12.594.

Brancher foi bastante aplaudido quando criticou a violência praticada pelo próprio Estado na forma como trata crianças e adolescentes em conflito com a lei. “Não podemos fazer Justiça Restaurativa se antes não fizermos um Justiça ampla. E esta deve ser baseada em critérios de segurança, em critérios técnicos na hora de sua aplicação e na contenção dos excessos do Estado”, afirmou.

O debate prosseguiu com o segundo painel do dia, a cargo da juíza de Direito da 3ª Vara da Infância e Juventude de Porto Alegre e Coordenadora da Central de Práticas Restaurativas, Vera Deboni, que falou sobre “O fluxo e os seus resultados no atendimento aos adolescentes envolvidos em ato infracional: a experiência de Porto Alegre”.

O seminário faz parte de uma série de atividades realizadas pela Terre des hommes Brasil, o Ministério Público e a Defensoria Pública, do Estado do Ceará, com o apoio do Tribunal de Justiça local, através da Coordenadora da Infância e Juventude e Escola de Magistratura (Esmec).
O evento teve como objetivo a sensibilização de atores estratégicos da sociedade na temática Justiça Juvenil Restaurativa, fomentação de propostas e grupos de trabalho para a difusão das práticas no Estado.
DSC01379.JPG

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...