“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

segunda-feira, 30 de abril de 2012

Acadêmicas de Psicologia conhecem sistemática da Justiça Restaurativa


Nesta sexta-feira (27/4), a Central de Práticas Restaurativas (CPRJIJ), projeto desenvolvido junto a 3ª Vara do Juizado Regional da Infância e Juventude, coordenado pela Juíza de Direito Vera Lúcia Deboni, recebeu a visita da Professora Analice Brurius e de alunas de graduação do curso de Psicologia do Instituto Evangélico de Novo Hamburgo (IENH).
Professora e alunas foram recepcionadas pela Servidora Tânia Todeschini e por Luciana Mandião - Educadora Judiciária e estagiária de Assistência Social do 3º JIJ. O motivo da visita foi conhecer como funciona o Projeto Justiça Restaurativa para jovens infratores e quais são os seus principais resultados, tanto individuais quanto para o sistema de Justiça.
Durante a reunião, foram apresentados vídeos com situações reais e também mostrado como é desenvolvido, passo-a-passo, o processo restaurativo entre todos os envolvidos. Além dos vídeos apresentados, foram distribuídos materiais e folders informativos.
Justiça Restaurativa
Iniciativa que busca reunir agressor, vítima e comunidade, promovendo a reparação do dano causado. Desde a implantação da Justiça Restaurativa, em 2005, mais de 3 mil casos foram atendidos. Segundo levantamento realizado pela Pontifícia Universidade Católica, 80% dos participantes afirmaram estar plenamente satisfeitos com o método.
Centros de Justiça Comunitária, implantados em bairros pobres da cidade, também atendem a conflitos de menor potencial ofensivo, buscando sua solução antes de o caso chegar à Justiça.
Autor: Com informações da Central de Práticas Restaurativas

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...