“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

quarta-feira, 21 de março de 2012

MP e Secretaria de Educação combatem violência na escola


Segundo o último levantamento realizado pela secretaria, 62% das escolas tiveram registros de casos de violência no ano de 2010. 
O coordenador do trabalho junto aos promotores de todo o estado, será Antônio Ozório Nunes, titular da Vara da Infância e Juventude de Taubaté.
Segundo o promotor, o MP vai passar para os professores conhecimentos específicos do ECA (Estatuto da Criança e Do Adolescente), de diretos humanos e de Justiça Restaurativa. 
“Estes professores serão multiplicadores dentro dos estabelecimentos de ensino. A intenção é atuar de forma preventiva contra a violência e promover uma aproximação, entre MP e as escolas”, afirmou.

Cursos. Ainda de acordo com Nunes, serão oferecidos cursos presenciais, aplicados por um grupo formado por cinco promotores e três pedagogos, destinado à formação de professores mediadores. 
Um curso à distância, também ministrado pelo MP, ficará a disposição para adesão por professores, coordenadores, diretores e vice-diretores de toda a rede estadual de ensino.
Na região, pelo menos 80 professores mediadores irão participar do curso presencial. 

Visitas. Além do cursos, os promotores devem visitar cerca de 200 escolas durante os 18 meses de duração do projeto. 
Nestes encontros, serão realizadas orientações aos diretores e palestras.
“Serão priorizadas as escolas mais problemáticas, onde a violência tanto entre alunos ou contra professores e funcionários estiver mais agravada. Cerca de 25 unidades estaduais do Vale do Paraíba devem receber esta visita”, disse. 
Com a captação de relatos dos próprios professores e diretores, sobre casos de violência enfrentados nas escolas e formas de resolver o problema bem sucedidas, o MP e a secretaria irão preparar um livro, que servirá de guia aos educadores sobre os temas desenvolvidos durante o processo. 
Cerca de 15.000 exemplares serão impressos, e distribuídos dentro das escolas estaduais ao longo do projeto.

Armas. Somente este mês, a polícia apreendeu armas em duas escolas da região, sendo um revólver em Pindamonhangaba e uma faca em Taubaté.
Entre as ocorrências, está a de uma adolescente de 16 anos, que foi esfaqueada pela colega de sala de 17 anos, no corredor da escola estadual Professor Roque de Castro Reis, no Belém.
A vítima foi socorrida pela direção da própria escola, levou pontos nos braços e na boca, mas passa bem.
Em Pindamonhangaba, a Polícia Militar apreendeu um revólver calibre 22, com um estudante em uma escola do distrito de Moreira César. 
A arma foi apreendida, o menor foi ouvido e liberado para os pais. 

DESCONFIANÇA
Apeosp critica ações do governo
Para o coordenador da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) de São José dos Campos, João Dagoberto Negri, se não for levado a sério pela Secretaria Estadual da Educação, o programa será mais uma tentativa de propaganda política. “A situação da violência é muito grave e abafada, na maioria das vezes. É preciso uma ação intensa”, disse.

FIQUE POR DENTRO
Convênio
O Ministério Público de São Paulo e a Secretaria da
Educação do Estado de São Paulo, firmaram na tarde da última quinta-feira, um convênio para tentar diminuir a violência nas escolas da rede estadual. O trabalho será coordenado pelo promotor da Vara da Infância e Juventude de Taubaté, Antônio Carlos Osório Nunes

Trabalho
A parceria terá a duração inicial de 18 meses. Neste período serão ministrados cursos de conhecimentos específicos do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), de diretos humanos e de Justiça Restaurativa, para professores diretores, coordenadores 
de escola e vice -diretores. A intenção é que eles sejam multiplicadores do conhecimento nas escolas

Cursos
Serão oferecidos cursos presenciais, aplicados por um grupo formado por cinco promotores e três pedagogos, destinado aos professores mediadores. Um curso à distância, também ministrado pelo MP, ficará à disposição para adesão por professores, coordenadores, diretores e vice-diretores de toda a rede estadual de ensino. Na região,80 professores farão o curso presencial

Vistas
Os promotores devem visitar cerca de 200 escolas durante os 18 meses de duração do projeto.
Nestes encontros, serão realizadas orientações aos diretores e palestras. O objetivo é à prevenção de conflitos no ambiente escolar, integração entre a escola e a rede social de garantia de direitos e uma aproximação dos promotores, com as escolas estaduais

Luara Leimig
Taubaté

O Vale.

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...