“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Mediação enquanto política pública: o conflito, a crise da jurisdição e as práticas mediativas


Mediação enquanto política pública: o conflito, a crise da jurisdição e as práticas mediativas
Organizador: Fabiana Marion Spengler e Theobaldo Spengler Neto
Área: Ciências Sociais Aplicadas
Ano: 2011
Páginas: 245
Formato: E-book A4
ISBN: 978-85-7578-328-3
Código:


Preço: Gratuito para Download




Sinopse

Este texto foi elaborado a partir de pesquisa realizada junto ao projeto intitulado“Mediação de conflitos para uma justiça rápida e eficaz” financiado pelo CNPQ (EditalUniversal 2009 – processo 470795/2009-3) e pela FAPERGS (Edital Recém-Doutor03/2009, processo 0901814) e no projeto: “Acesso à justiça, jurisdição (in)eficaz emediação: a delimitação e a busca de outras estratégias na resolução de conflitos”,do Programa Pesquisador Gaúcho da FAPERGS, Edital 02/2011, ambos coordenadospor Fabiana e Theobaldo.
A seriedade e a inserção acadêmica do texto é evidenciada pela sua vinculaçãoaos estudos e debates realizados junto ao Grupo de Pesquisa Políticas Públicas no Tratamento dos Conflitos, certificado pelo CNPq e liderado pelos Coordenadores.
Não bastasse isso, ambos têm larga produção na área, e Fabiana acabou deconcluir seu período de estágio pós-doutoral em Direito pela Università degli Studidi Roma Tre, em Roma na Itália, com bolsa CNPq (PDE), além de ser coordenadorado Grupo de Estudos “Políticas Públicas no Tratamento dos Conflitos” vinculado aoCNPq.
Logo na abertura da obra, Fabiana e Theobaldo nos brindam com um texto quetrata da crise da jurisdição no Brasil e na Itália.

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...