“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

PROCESSOS CIRCULARES PARA RESOLVER CONFLITOS É TEMA DE KAY PRANIS EM FÓRUM SOBRE CULTURA DE PAZ

PROCESSOS CIRCULARES PARA RESOLVER CONFLITOS É TEMA DE KAY PRANIS EM FÓRUM SOBRE CULTURA DE PAZ
Em encontro do Comitê Paulista para a Década da Cultura de Paz, organizado pela Associação Palas Athena, em parceria com a UNESCO, especialista americana mostra resultados já obtidos no campo jurídico em prisões, escolas e empresas; evento gratuito acontece dia 5, no Auditório do Museu de Arte de São Paulo, com entrada franca
Como parte dos conceitos e práticas de Justiça Restaurativa, os Processos Circulares, conforme define Kay, são uma técnica ancestral e presente nas comunidades aborígenes canadenses para a resolução de conflitos. Propõe “círculos de construção de paz”, reunindo pessoas que se tratam como iguais e mantêm trocas honestas sobre questões difíceis e experiências dolorosas. Cria um “ambiente de respeito e atenção amorosa” para com todos, para falar francamente sobre conflito, dor e raiva, e sair sentindo-se bem em relação a si mesmas e aos outros.
A superlotação carcerária, o aumento crescente da criminalidade, a insatisfação com a justiça e a fragilidade do senso comunitário são sinais de alerta que nos levam a repensar a visão que temos do crime e do nosso modelo de justiça.
“A filosofia subjacente aos Círculos reconhece que todos precisam de ajuda, e que ajudando os outros estamos, ao mesmo tempo, nos ajudando. Os participantes beneficiam-se da sabedoria de todos, eliminando-se a divisão entre provedores e recebedores. Gera-se, assim, uma nova compreensão do problema e possibilidades inéditas de solução”, resume documento da Palas Athena a ser distribuído no Fórum.
Não tem sido tarefa fácil atualmente construir espaços de empatia e respeito para resolver conflitos e chegar a consensos. A metodologia dos processos circulares remonta à antiga tradição – nossos ancestrais reuniam-se em roda à volta do fogo ou com a família em torno da mesa da cozinha – e recebe o aporte dos conceitos contemporâneos de democracia, liderança e responsabilidade partilhadas.
Aplicada no sistema judicial, a metodologia dos Processos Circulares envolve as partes afetadas na decisão de como corrigir a situação depois de um crime. Identifica os danos e necessidades de todos, determinando como tais necessidades serão atendidas. Nas escolas é ferramenta para criar um ambiente positivo em sala de aula e resolver problemas de comportamento. Nos locais de trabalho mostra-se eficaz para lidar com conflitos e chegar a consensos e, no serviço social, desenvolve sistemas de apoio mais orgânicos, capazes de efetivamente ajudar pessoas que lutam por encontrar um sentido para suas vidas.
A palestra de Kay integra o 84º Fórum do Comitê Paulista para a Década da Cultura de Paz. Ao final de sua apresentação, ela lança o livro O pequeno livro de Processos Circulares: uma abordagem ancestral e nova ao trabalho de construção da paz, editado pela Palas Athena. Na palestra e na publicação, Kay Pranis revelará resultados de suas pesquisas, ensinamentos e prática da Justiça Restaurativa. De escolas a presídios, de empresas a igrejas, nas cidades ou nas mais variadas comunidades rurais, ela já atuou em toda parte nos Estados Unidos. Kay Pranis vem ao Brasil convidada pela Associaçao Palas Athena com o apoio institucional da UNESCO e do Consulado Americano.
Com o objetivo de contribuir na geração de conhecimentos e práticas que promovam a cultura da convivência e tendo como princípio propiciar o cultivo do desenvolvimento pessoal com autonomia e responsabilidade e voltado para a participação comunitária, a Associação Palas Athena está voltada para a aproximação das culturas e articulação dos saberes. Suas ações promovem diálogo e entendimento para a coexistência harmoniosa das diversas tradições culturais e espirituais. Realiza cursos e publicações para desenvolver a educação fundada na compreensão da natureza humana, suas aspirações e expressões, e da interdependência dos meios nos quais nasce e se insere.
Serviço
84º Fórum do Comitê Paulista para a Década da Cultura de Paz
Terça-feira, dia 5 de outubro, 19 horas
Auditório do MASP ▪ Museu de Arte de São Paulo, Av. Paulista, 1578 - São Paulo/SP - (Estação Trianon-Masp do Metrô)
ENTRADA FRANCA
Mais informações: Associação Palas Athena - Rua Leôncio de Carvalho, 99, telefone 3266 6188
Informações à imprensa: Textos & Ideias, telefone  (11) 2476 1300 com Antônio Mafra (antoniomafra@textoseideias.com.br)

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...