“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

domingo, 25 de julho de 2010

Por uma Sarandi mais “Segura” e com Justiça Social…


Assistimos nas últimas semanas uma escalada nos índices de assaltos e criminalidades levando as autoridades públicas competentes a perguntarem: Quais as causas deste levante da violência municipal?
A problemática responsável em obter esta resposta passa-se, em primeira instância, pelo sentimento de “sarandilidade” um pouco esquecido nos últimos tempos no sentido de preocupar coletivamente com políticas sociais integradas.
A forma como as instâncias de pactuação e consensos (Conselhos) “deveriam” agir haveriam de primar pela “Ação Holística” sobre o fenômeno  da violência através de ensaios educativos intra escolar e intra associações, frisando a importância do Disque Denúncia Ampliado.
Noutra ponta, na parte de “coordenação” dos trabalhos, buscar discutir a instituição de uma Agenda de Interlocução dos atores sociais ampliada e contínua com os responsáveis pelas políticas de segurança pública e sociais de Sarandi.
Assim, com a integração deste “Compromisso Articulado” entre todos poder estabelecer no município um método eficiente da “Justiça Restaurativa” articulada com os trabalhos em Rede Sociais (SAS, Entidades Filantrópicas, Igrejas, etc) para que este “capital humano” não fique superlotando o sistema carcerário local.
Avançando-se neste “gesto concreto” do dever agir responsável, disciplinar-se-ia mecanismos de Captação Recursos e Gestão das Necessidades Sociais com foco no contexto territorial priorizando a Inclusão social, produtiva, educativa com formação cidadã e Cristã
A relação histórica entre Solidariedade x Assistencialismo tem as significativas eficácias, porém não aplacam a multifacetada metodologia aplicada pela violência urbana constatada nos quatro cantos do Brasil.
Neste contexto, o julgar ou sair “culpabilizando” não é uma ação sensata diante dos cenários ameaçadores aos direitos da família e da propriedade perante a “refenlização” da sociedade como um todo.
Daí, rever valores e princípios propagados, capilarmente, por uma “culturalização da não-violência” através da fundamentação Bíblica ecumênica e escolar veiculado pelo tripé da interação Igreja x Sociedade x Comunidade, seria um passo importante nesta luta por justiça social.
Portanto, em vez de ficarmos apenas “vendo” e analisando a ascensão terrorista da pirâmide da criminalidade sem “agir” e debater as estratégias de vencer este “conflito perigoso através de políticas públicas efetivas de segurança monitorados por sistemas comunitários de garantia e defesa de direitos seria o mesmo em dar um “tiro no pé” no processo da pacificação da sociedade urbana.
Por
Dr. Allan Marcio
-
Hnews. 22/07/2010

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...