“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

SJC: Começa projeto Justiça Restaurativa

A sensibilização das escolas municipais selecionadas para participar do projeto Justiça Restaurativa começou nesta terça-feira (6). Os encontros serão ao longo da semana no auditório da Fundhas, pela manhã e à tarde.

Na primeira fase as dez escolas pilotos vão conhecer um pouco mais da iniciativa. Depois serão realizados workshops no final do mês de outubro para a formação dos envolvidos. O objetivo é implantar o projeto para evitar e administrar conflitos dentro das escolas.

A coordenadora da atividade, Mariuza Gasparino Romano, destaca a importância do projeto. “Percebemos a necessidade das escolas receberem uma formação específica para que os profissionais aprendam a lidar melhor com os conflitos.”

A justiça restaurativa é um mecanismo já usado em outros âmbitos para a resolução de conflitos, partindo da reflexão e do estímulo dos atores envolvidos. Na prática, a metodologia utiliza círculos de conversa em que professores, alunos e demais profissionais da escola ganham espaço para o diálogo e para a resolução não punitiva. O aluno é levado a refletir sobre suas ações, assumindo responsabilidade sobre seus atos.

Segundo a assessora técnico-pedagógica da Secretaria de Educação, Regina Scarpel, a justiça restaurativa vem complementar o trabalho já realizado na rede municipal. “Queremos tornar a escola mais justa e a justiça mais educativa”, afirma.

As escolas que irão participar:

- Therezinha do Menino Jesus, no Dom Pedro
- Ana Berling de Macedo, no Alto da Ponte
- Álvaro Gonçalves, no Campo dos Alemães
- Rosa Tomita, no Jardim São José II
- Dom Pedro de Alcântara, no Dom Pedro
- Possidônio José de Freitas, no Galo Branco
- Vera Lúcia C. Barreto, em Santana
- Maria Amélia Wakamatsu, no Campos de São José
- Luiz Leite, no Galo Branco
- Jacyra Baracho, no Jardim Veneza 


Vale Notícia. São José dos Campos. 06/10/2009

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...