“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Faculdades de Direito terão incentivo para mediação de conflitos

Brasília, 02/09/08 (MJ) – O Ministério da Justiça lançou esta semana um projeto de fomento à mediação pacífica de conflitos nos núcleos de prática jurídica das Faculdades de Direito. As faculdades poderão concorrer a incentivos financeiros do governo federal com a apresentação de propostas, que serão julgadas por um comitê especial.

O Ministério já reservou só para este ano R$ 1,5 milhão para as melhores propostas. Para o secretário de Reforma do Judiciário, Rogério Favreto, a iniciativa visa incentivar soluções mais simplificadas, sem que seja necessário recorrer ao Judiciário.

O trabalho conta a parceria com Ministério da Educação e da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) para os julgamentos. As instituições poderão concorrer sozinhas ou em com o apoio do estados, municípios ou Oscips (Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público).

“Nossa formação é muito voltada para o conflito. Queremos que as faculdades tenham mais dedicação à pacificação social, não só à disputa judicial”, explicou Rogério Favreto. “Vamos capacitar os estudantes, para que eles desenvolvam projetos de atuação junto à comunidade, evitando que muitas disputas cheguem ao judiciário”.

MJ, 02/09/2008.

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...