“É chegada a hora de inverter o paradigma: mentes que amam e corações que pensam.” Barbara Meyer.

“Se você é neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado opressor.” Desmond Tutu.

“Perdoar não é esquecer, isso é Amnésia. Perdoar é se lembrar sem se ferir e sem sofrer. Isso é cura. Por isso é uma decisão, não um sentimento.” Desconhecido.

“Chorar não significa se arrepender, se arrepender é mudar de Atitude.” Desconhecido.

"A educação e o ensino são as mais poderosas armas que podes usar para mudar o mundo ... se podem aprender a odiar, podem ser ensinadas a amar." (N. Mandela).

"As utopias se tornam realidades a partir do momento em que começam a luta por elas." (Maria Lúcia Karam).


“A verdadeira viagem de descobrimento consiste não em procurar novas terras, mas ver com novos olhos”
Marcel Proust


Pesquisar este blog

terça-feira, 15 de julho de 2008

Indonésia e Timor-Leste declaram remorso pela violência de 1999



Remorso oficial da Indonésia e Timor-Leste pelos acontecimentos de Agosto de 1999

A Indonésia declarou hoje o seu “remorso” pela violência registada em Timor-Leste em Agosto de 1999 quando decorreu naquele território uma consulta pública sobre a independência do país. A declaração surge assinada conjuntamente pelos dois países, Indonésia e Timor-Leste, depois de terem recebido oficialmente o relatório final da Comissão de Verdade e Amizade.

Os chefes de Estado de Timor-Leste e da Indonésia declararam hoje em Bali, na Indonésia, o seu "remorso" pela violência registada em Agosto de 1999. Na declaração é expresso o remorso dos dois países “a todos aqueles que sofreram uma dor incalculável e feridas físicas e psicológicas enquanto vítimas directas e indirectas de violações de direitos humanos.

"Em nome do Governo da Indonésia e do Governo de Timor-leste expressamos os nossos remorsos a todos aqueles que sofreram uma dor incalculável e feridas físicas e psicológicas enquanto vítimas directas e indirectas de violações de direitos humanos, que ocorreram no período que precedeu e que seguiu a consulta popular em Timor-Leste em Agosto de 1999", pode ler-se na declaração assinada pelos presidentes de Timor-Leste, José Ramos Horta, e da Indonésia, Susilo Yudhoyono, e ainda pelo primeiro-ministro timorense Xanana Gusmão.

O relatório da Comissão de Verdade e Amizade não recomenda nenhuma acusação relativa aos crimes cometidos em 1999, mas concluiu que houve "responsabilidade institucional", tanto das forças armadas e de segurança indonésias como dos grupos pró-independência na violência praticada.

Apesar do tom conciliatório da assinatura desta declaração, José Ramos Horta, presidente de Timor-Leste, referiu no seu discurso que "as conclusões da Comissão de Verdade e Amizade não podem apagar o passado nem trazer de volta os mortos" ao mesmo tempo que defendeu o que designou como uma "relação única entre os dois países" e considerou mais importante que a violência de 1999 seja avaliada através de uma justiça restaurativa e não persecutória.


RTP. 2008-07-15 09:59:08. Disponível em:http://ww1.rtp.pt/noticias/?article=354823&visual=26&tema=2.

Nenhum comentário:

Justiça Restaurativa: Marco Teórico, Experiências Brasileiras, Propostas e Direitos Humanos

...

...